Belém 18 de Janeiro de 2014
BUSCA:
 
Justiça impugna candidatura de empresária em Santa Maria do Pará
 
 
 

O juiz Augusto Bruno de Moraes Favacho, da 87ª Vara Eleitoral de Santa Maria do Pará, impugnou a chapa "O Trabalho Continua", da coligação majoritária, que concorreria no próximo dia 2 de fevereiro, na eleição suplementar para a Prefeitura Municipal de Santa Maria do Pará, tendo como candidatos a prefeita e empresária Diana de Souza Câmara Melo, e a vice-prefeito, o também empresário Paulo Guerreiro de Sousa. Diana é mulher do prefeito cassado do município, Lucivandro de Souza Melo (PR), que perdeu o cargo em definitivo ao final do ano passado, depois de ter sido afastado inúmeras vezes e voltado para a prefeitura em função de medidas liminares, acusado pelo Ministério Público Eleitoral por crime de compra de votos.

A ação de impugnação da chapa liderada por Diana Melo foi interposta pela coligação majoritária "Democracia e Verdade", que tem como candidatos a prefeito e vice-prefeito, respectivamente, o Dr. Reca e o Juberson, do PSDB.

De acordo com informações de representantes da chapa "Democracia e Verdade", o ex-prefeito, que foi cassado pelo crime de compra de votos envolvendo o Hospital da Ordem Terceira, em Santa Maria do Pará, tentava voltar ao poder por meio de sua esposa que também é ré no mesmo processo que o levou à perda do cargo. Outro dado apresentado pela chapa do PSDB é que a legislação é clara, quando permite que alguém ligado ao candidato cassado só pode concorrer se a perda do cargo ocorreu há pelo menos seis meses, o que não é o caso de Lucivandro, que deixou a prefeitura no final do ano passado.

Assinada ontem pelo juiz eleitoral de Santa Maria do Pará, a sentença ainda pode ter recurso.

 

 
   
 
   
   
     
 
 
 
Copyright © 2004 - 2009. Todos os direitos reservados ao Jornal O Liberal